Leitura na quarentena, como foi por aí?


Estamos perto de completar um ano de pandemia e isolamento/distanciamento social. Quanta coisa mudou durante esse período no mundo e em nossos hábitos cotidianos! 

Quando tudo se resumiu às nossas casas, várias foram as estratégias de sobrevivência criadas para atravessar com o mínimo de sanidade esse momento. 

Para a gente, além dos encontros on-line, yoga, cursos etc., a leitura foi uma grande companheira. Existem dados que mostram um crescimento desse hábito entre os brasileiros em 2020; outros apontam para o contrário: sobra tempo, falta concentração. Como foi para vocês? 

De toda forma, todos os estudos convergem no seguinte ponto: ler ajuda a reduzir os níveis de ansiedade e nos permite escapar da realidade, o que é extremamente necessário quando nosso entorno torna-se por demais opressor.

hora da estrela

Temos na equipe uma leitora voraz, a nossa pesquisadora Clarissa Galvão, fundadora e mediadora do Clube Traça (@clubetraça), um espaço para mulheres discutirem a obra literária de outras. 

A gente, que é traciane de carteirinha <3, pediu a Clari algumas indicações de livros para estimular a criatividade e nos ajudar a imaginar futuros possíveis e melhores neste início de 2021. 

 Seguem abaixo:

  1. A hora da estrela, um romance clássico da pernambucana apaixonada por carnaval Clarice Lispector. É impossível não se apaixonar por Macabéa, datilógrafa, virgem, apaixonada por coca-cola e batom.
  1. 13 Nudes, poesias de Adelaide Ivánova, ativista, poeta, jornalista e tradutora recifense radicada em Berlim. Ninguém faz panflertagem e politizaçãoroleira como ela.
  1. Pagu, autobiografia precoce, texto escrito em 1940 quando a artista e militante Patrícia Galvão tinha 30 anos e havia sido liberada de uma das 23 prisões que enfrentou durante sua vida. Vamos ler e debater esse livro em março, no Clube Traça. Sintam-se convidadas!

 Boa leitura a todes :)


Deixe um comentário